Add to favourites
News Local and Global in your language
20th of October 2018

Lazer



Bolsonaro é o preferido dos mais ricos do país, diz Ibope

Imagine um homem com ensino superior e que ganha mais de cinco salários mínimos ao mês. Este é o eleitor que foi conquistado pelo candidato Jair Bolsonaro e que quatro anos atrás estava mais propenso a votar em Marina Silva, da Rede, ou em Aécio Neves, do PSDB.

Uma pesquisa divulgada ontem pelo Ibope ouviu 2.002 eleitores em 142 municípios e revelou os números de intenções de voto segmentados por sexo, idade, escolaridade, renda, região, religião e raça. Dentre os dados, chama a atenção que o candidato de extrema-direita do PSL conquista maiores fatias de intenções de voto conforme os salários e a escolaridade do eleitor aumentam.

Num cenário em que disputa com Lula, do PT, Bolsonaro vence apenas entre um grupo de eleitores: aqueles que ganham mais de cinco salários mínimos. De acordo com a pesquisa, nesta faixa salarial, Bolsonaro é o líder com 30% dos votos enquanto Lula possui 19%. Já entre aqueles que possuem ensino superior, há um empate: 23% para os dois candidatos. Em todos os outros grupos, Lula lidera.

A pesquisa recente confirma outra, de abril de 2016, do Datafolha, que botava Bolsonaro como o líder nas pesquisas entre aqueles com maior renda. No levantamento mais antigo, media-se a quantidade de votos entre aqueles que ganhavam mais de dez salários mínimos (correspondente a 5% da população). Nessa parcela, Bolsonaro assinalou 23% das intenções de votos.

O cenário representa uma mudança significativa em relação a 2014, quando Marina Silva era a favorita dentre os mais ricos brasileiros: à época no PSB, ela tinha 36% das intenções de votos entre os 7% mais ricos do país, segundo o Datafolha; Aécio Neves, do PSDB, aparecia em seguida, com 33%. Hoje Marina tem, entre aqueles com mais de 5 salários mínimos, apenas 4% dos votos; Alckmin: 9%.

Segundo a cientista política Geórgia Santos, essa conquista do candidato do PSL foi devido a seu modo de agir mais pirotécnico e imediato. Ela diz que Bolsonaro tem se tornado o queridinho da elite brasileira por uma série de fatores, e não só por um fenômeno. "Ele personifica esse conservadorismo da forma mais objetiva possível, como nenhum outro candidato jamais fez”, afirma a pesquisadora. “Nem os do PSDB, que sempre conseguiram pegar uma fatia do centro e até, eventualmente, da centro-esquerda."

Outro fator que colabora para seu crescimento por parte do público de ensino superior se dá por sua aproximação à economia liberal. O plano de governo do PSL, afinal, foi feito pelo economista Paulo Guedes, que, vale ressaltar, vai totalmente contra as ideias protecionistas e estatais de alguém que apoia a ditadura militar.

Especialistas acreditam que o cenário mude depois do início da exibição das propagandas eleitorais obrigatórias na televisão aberta, já que Alckmin conta com a maior quantidade de tempo. A aposta do PSDB deve ser puxar as mulheres de volta para seu eleitorado, já que elas representam 52% dos votos brasileiros e 80% delas se diziam indecisas até junho deste ano.

Ainda assim, é difícil de acreditar que o candidato do PSDB tenha a força e a coragem de abordar assuntos polêmicos e concretos como Bolsonaro faz sem medo de ser julgado nas redes. O radicalismo de sua fala ilustra os desejos mais profundos da direita brasileira.

Assista ao documentário da VICE Brasil: "O mito de Bolsonaro"

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter , Instagram e YouTube .

Read More




Leave A Comment

More News

VICE RSS Feed

Rolling Stone Brasil

Extra Online - TV e Lazer

Disclaimer and Notice:WorldProNews.com is not the owner of these news or any information published on this site.